segunda-feira, 30 de maio de 2011

simples

Mente da gente é coisa estranha...
hora venera o tempo,
hora só quer espaço.

E eu tô no meu momento
de dar valor às coisas simples.

Não há nada mais complexo
que a compreensão do por que de algumas melodias
mexerem tanto com a gente!
Hoje eu quero só entender a letra,
fechar os olhos e voar no som...mais nada.

Hoje eu só quero me perder no cheiro,
na lembrança do tato dos meus poros nos seus,
das pontas dos seus dedos em mim,
traçando acordes,
melódicos,
complexos
e simples.

Saudade é coisa estranha...
faz um dia parecer um século...
faz de um mês uma vida inteira
e faz de mim, quase nada sem você.